sexta-feira, 14 de novembro de 2014

FOME MALDITA


Por favor, me dê comida,
do seu prato e da sua boca
que acusa minha fome
dela ser maldita.

Por favor, me dê banho,
lave-me com sua saliva
que eu engulo e engasgo
por eu viver sedento.

Por favor, me dê descanso,
me deite entre seus braços
que me aquieta, que me junta,
por eu ser só pedaços.

Por favor, me de saída,
arrebente minhas correntes
eu que fui condenado
a ser parte da sua pele.  


Marcos tavares