terça-feira, 14 de outubro de 2014

VEM COMIGO


Vem comigo ficar à toa,                  
sentar no meio-fio,
andar na garoa fina
deixar as lagrimas de lado
esquecer da vida os desafios   
jogar fora o desespero
de não termos aprendido
esquecer o que nos amarga
aquilo que a gente não perdoa.

Vem comigo,
dançar em beira de estrada
dormir enroscados um no outro
ficar bêbados de abraços,
morar em mim até amanhecer,
deletar as fotos antigas,
por fogo nos sonhos que a vida
não nos fez merecer

Vem comigo,
contar suas histórias tristes
seus dias de tempestades
deitar no meu ombro amigo
repleto de calor do meu peito   
ouvir meu coração bater em risos
e sentir a alegria de cuidar
deste amor que sempre será teu.


Marcos tavares