sábado, 9 de novembro de 2013

ASTRONAUTAS CAINDO AOS PEDAÇOS




Assim são as pessoas, umas sólidas, concretas de aço, outras estranhas, infinitas e abstratas. As pessoas são paisagens, cartão de visita, as pessoas são chamadas não atendidas, as pessoas são gritadas, anunciadas pelo nome sobrenome, as pessoas são palavras esquecidas. As pessoas têm papo, cabeça ombro e membros, sentimentos no anonimato, as pessoas são potências e atos. As pessoas têm coisas, as coisas têm as pessoas, são textos caligrafias cadernos encadernados no segundo, mundo particular em partículas criptografadas, um quarto da metade industrializada condicionada. As pessoas estão na terra, estão no terraço, as pessoas estão no mundo da lua, astronautas caindo aos pedaços.


Claudio Castoriadis   
http://claudiocastoriadis.blogspot.com.br/