sábado, 26 de setembro de 2015

PRESA SINGELA

Surtei assombrosamente                          
quando conversamos ontem,
ainda nem dormi...
Meu cigarro acabou
no começo da noite
morri e revivi várias vezes
gastando tantas vidas...
Talvez à toa,
pensando ser alguém
que as possuíssem.

Esse destino me caçoa
deixando sempre eu acordar
mesmo não estando pronta.
Nem sei, quantas vidas carrego!
você sabe? Me conta.

Não sei se isso é bom,
que porra de animal eu sou,
que garras irão me perseguir
para poder apenas
morrer como uma presa singela.

Vesti tantas fantasias
depois que eu decidi chorar,
a cinta liga de puta me serviu tão bem,
justamente em mim
que tenho tanto pra rezar
justamente em mim que quero
a chuva me encharcando
e retiro tudo que impede
dela me desmanchar.

Eu deveria calar a boca,
só para escutar alguém
mas quando precisar mentir,
não saberei como fazer!
Você sabe? Me ensina.

E se eu precisar me reconhecer
não saberei qual voz é minha
nem a última que me resta,
se você sabe que bicho eu sou
então me adestra.

Marcos tavares