terça-feira, 16 de setembro de 2014

CHOVE DENTRO DE MIM


No meu delírio desmedido,
tem comprimidos pelo chão,
febre repentina,
-cansaço de viver.

Tem termômetros na gaveta,
vontade de esquecer alguém,
que me esqueceu aqui
quando partiu.

Tem sonhos pueris,
risos oprimidos,
buracos na alma 
por me faltar alguém
que me fazia feliz.

Falta lucidez pra continuar,
poder me reinventar.
Deixar de sofrer assim, 
tentar esquecer 
o quanto chove ainda...
dentro de mim


Marcos tavares