segunda-feira, 19 de setembro de 2016

MUITO ALÉM

Eu sou a vida sem um vivente     
Um sonho sem sonhador
Uma dor sem um doente
um andar sem caminhante
um comando sem comandante

Um alguém que é ninguém
um som sem ouvidor
uma fala sem falador
a ilusão sem um iludido
a frase que se escreve por si

Eu sou quem não é quem
separado sem separação
a morte que morre sem alguém
muito além das palavras, muito além
o que está em tudo, sem nada ser.

O que aparece desaparecendo
o que faz nada fazendo
o que nada sempre foi tudo
o que tudo é nada sendo
o que brilha por si eternamente.


Marcos tavares