quarta-feira, 7 de novembro de 2012

CONDENAÇÃO


Perdão:
Estou predestinado a ser feliz.
que fazer?
não sei torturar
nem quero o poder,
a honra não me tenta
nem o sucesso almejo

Menina,
nem teus apelos domésticos
nem teu regaço em brasa
detêm em mim esta poesia

Sou feliz,
como o pássaro da anistia,
sobrevoando o céu tumultuado

Executivos, heróis, soldados,
fanáticos, empresários, proprietários,
classe média em geral,
eu vos declaro a minha condenação:
sou cavalo do meu sonho. 



Climério Ferreira.