segunda-feira, 1 de outubro de 2012

AUSÊNCIA


Abraça-me
como o brilho ao cristal
que guarda dos lábios
                               as marcas
a saliva ainda em ebulição.
  
Abraça-me
como órfão ao destino
o beco ao fugitivo
que desprovido de perspectivas
                                 admite o precipício.

Compartilharemos
do barco à deriva as velas
qual andejo com o nada
observadores atentos
                              horas e sentinela.

Abraça-me infinda madrugada
como um pai que ao filho espera.

                            
Mario Massari