segunda-feira, 23 de julho de 2012

O AMIGO IMAGINÁRIO

 Ensaio
                                                                   pronto falei ! 

O facebook, o twitter e o youtube estão cheios de mensagens que tratam Deus como mais um ser humano, não um ser humano qualquer, mas sim um poderoso ser humano.
Ele age como um Super-herói sob nosso comando. Basta chamá-lo para sermos defendidos contra os inimigos que discordam das nossas ideias e dos nossos objetivos.
Apresentamos esse Deus como nosso amigo imaginário. Um protetor que nos cerca em um mundo limitado, onde tudo em volta é uma ameaça e todos aqueles que poderiam caminhar ao nosso lado não merecem nosso voto de confiança, mesmo os que se dizem amigos, pois apesar de nossos amigos, não perdoamos quando agem com suas fraquezas.
Nos sim, somos fortes, não erramos e temos um justiceiro do nosso lado. Por isso: Deus é por mim e vai me libertar. Ninguém será contra e hei de vencer.
Aparentemente parece um jogo inconsciente, parecemos ter em mãos a maior carta do baralho; a que eu confio plenamente e que me fara vencedor. O meu deus é maior e o seu é uma bosta.  Assim dizendo, não parece que estamos vivendo em um mundo onde todos nós temos o direito de se acertar e se corrigir, mas sim um jogo infantil destruidor onde fracos e inseguros devem ser excluídos da existência sendo jogados ao fogo do inferno, onde ficaremos apreciando a sua derrota, mesmo se esteja lá um pai, uma mãe ou um filho que teve fraquezas nesta existência.
Olhando assim parece até que fomos jogados nesta vida ao acaso e que temos que saber escolher qual é o deus certo, se não, nós estamos perdidos.
Se não colocássemos deus nessa história seria mais sensato acreditar em uma terra de ninguém, pois fomos todos lançados a este mundo e entregue ao destino, até ai tudo bem! Mas dizer que existe um criador que precisa ser bajulado pela sua própria criação e que vai se irritar se não cumprirmos as suas exigências depois vai nos destruir com sua foice afiada. Isto sim é um filme de horror!
Eu sei que falo apenas de crença, mas ultimamente eu não ando com muita paciência com estes fanáticos religiosos. Eles estão invadindo a rede com seus poderosos amigos imaginários e nos fazendo crer que eles são pessoas que não sofrem e que estão eles protegidos de todo o mal no mundo. Verdadeiras crianças com suas armas destruidoras que estão aprendendo apenas a ser preconceituosas em um alto grau de egoísmo.




Marcos tavares de souza